O Menino Selvagem (1970)

Menino Selvagem (1970)

Segundo capitulo da trilogia de François Truffaut sobre a infância (Os 400 Golpes, de 1959, e Na Idade da Inocência, de 1976, são os restantes filmes), O Menino Selvagem é um dos trabalhos menos apreciados do realizador, mas que revela toda a sua mestria e onde ele aborda um tema que lhe é próximo: a educação (o realizador teve uma infância perturbada, que o marcou durante toda a sua vida).

O argumento simples de O Menino Selvagem não revela a detalhada preparação do realizador e o argumento de 243 páginas que Jean Gruault escreveu a seu pedido. No entanto, o filme mostra como Truffaut era exímio a capturar a intensidade da interacção humana, fazendo-o de uma forma tão simples e natural. Para tal, o realizador filmou a história como se de um documentário se tratasse, onde a fotografia de Nestor Almendros, que aqui tem a primeira das nove colaborações com o realizador, e os poucos diálogos, dão ao filme um visual clássico, quase da era do mudo.

Um dos pilares da eficácia do filme reside nas interpretações, nomeadamente as do menino selvagem e do Dr. Itard. Após entrevistar e fotografar cerca de 2.500 crianças, Truffaut decidiu entregar o personagem do menino a Jean-Pierre Cargol, uma criança de origem cigana que consegue transmitir todos os aspectos selvagens da sua personagem. Quanto ao Dr. Itard, este foi o último personagem a ser escolhido e após ter considerado diversos actores de televisão, Truffaut decidiu ser ele próprio a interpretar o personagem. E em boa hora o fez, já que dificilmente se consegue imaginar outro actor no papel de Dr. Itard.

O sucesso de O Menino Selvagem junto do público e da crítica, surpreendeu o próprio realizador, que considerava que o tom austero e documental o tornaria um fracasso. Mas mais do que um sucesso comercial, O Menino Selvagem teve um verdadeiro impacto social, já que iniciou, na altura, um debate nacional sobre a protecção de menores, permitindo ao realizador expor a sua opinião sobre o assunto.


L’ Enfant Sauvage
Les Films du Carrosse, United Artists. França, 1970, 83m, drama
Realizador: François Truffaut. Argumento: François Truffaut e Jean Gruault, baseado no livro “Les Enfants Sauvages: Mythe et Réalité” de Lucien Malson. Actores: François Truffaut, Jean-Pierre Cargol, Françoise Seigner, Jean Dasté, Annie Miller, Claude Miller, Paul Villé

Em 1798, uma criança abandonada, que se comporta como um verdadeiro animal selvagem, é encontrada numa floresta e colocada a cargo de um professor que acredita, ao contrário dos restantes colegas, que a consegue educar.